Agenda Econômica Semanal – 13 a 19 de novembro de 2017

Apesar do feriado no meio da semana, teremos importantes indicadores de atividade

 A semana da agenda doméstica contará com a divulgação de dados de atividade ainda referentes a setembro. As vendas do comércio varejista e a receita de serviços deverão mostrar continuidade da expansão econômica. As vendas do varejo restrito (terça) de setembro devem crescer 0,6% (MoM). Dá suporte a essa avaliação o comportamento dos indicadores coincidentes, que apontam para um forte desempenho dos Hipermercados (2,0% MoM, Abras | 0,5% MoM, Boa Vista) e para um bom movimento do comércio geral (1,0% MoM, Serasa). No conceito ampliado, que inclui veículos e material para construção, a alta deve ser de 0,9% (MoM), em razão da melhora nas vendas de veículos (6,2% MoM, Anfavea | 5,5% MoM, Fenabrave). Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 13 a 19 de novembro de 2017

Anúncios

Agenda Econômica Semanal – 6 a 12 de novembro de 2017

Destacamos o IPCA e dados de atividade na agenda nacional desta semana

No Brasil, o destaque da semana será a divulgação do IPCA de outubro, na sexta-feira. Esperamos aceleração da variação dos preços, passando de 0,16% de setembro para 0,48% em outubro, devido à adoção da bandeira tarifária vermelha 2 nas contas de luz, à alta dos alimentos (in natura e carnes) e do reajuste de Gás de cozinha e Cigarros, anunciado em setembro. Em 12 meses, o índice deve acelerar de 2,54% para 2,76%. Apesar de a alimentação voltar ao campo positivo, ainda identificamos os núcleos bem-comportados. Já o IGP-DI (quarta-feira), deve permanecer próximo à estabilidade em outubro, com o declínio dos preços industriais no atacado compensando a alta dos preços ao consumidor, o qual deve desacelerar de 0,62% (setembro) para 0,02%. Os vetores do movimento deverão ser a queda do preço do Minério de ferro e o barateamento dos Combustíveis (Gasolina, Álcool e Querosene de aviação). No acumulado em 12 meses, o índice deve intensificar suavemente sua deflação, ao passar de –1,13% para –1,15%. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 6 a 12 de novembro de 2017

Agenda Econômica Semanal – 9 a 15 de outubro de 2017

Embora a semana seja curta, em função do feriado prolongado de Nossa Senhora Aparecida, na próxima quinta-feira, Brasília terá dias quentes a partir desta segunda-feira com o início da análise da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) na Câmara dos Deputados e com o julgamento que afetará diretamente o senador Aécio Neves (PSDB-MG) no Supremo Tribunal Federal (STF). A despeito da agitação na agenda política, na economia a semana será tranquila com o destaque para os dados das vendas do varejo em agosto, para as quais esperamos avanço de 0,4% no comércio restrito (contra o mês anterior). O avanço dos indicadores coincidentes como o de vendas dos supermercados (0,6%, Boa Vista) e o de movimento do comércio (0,5%, Serasa) dão suporte a nossa análise. A deflação dos itens do segmento também deve ajudar. No conceito ampliado, que inclui veículos e material de construção, acreditamos que haverá alta de 1,6% na variação marginal em agosto devido às vendas de comerciais leves e automóveis (3,1%, Fenabrave | 1,5%, Anfavea). Apesar da ligeira acomodação em relação aos meses anteriores, o resultado de agosto não será influenciado diretamente pelos saques do FGTS (que terminaram em meados de julho) e, caso nossa projeção se confirme, refletirá uma retomada sustentada do consumo. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 9 a 15 de outubro de 2017

Agenda Econômica Semanal – 18 a 24 de setembro de 2017

O foco desta semana no Brasil serão os dados de inflação, com os principais eventos concentrados na quinta-feira: divulgação do IPCA-15 e do Relatório Trimestral de Inflação (RTI). Em linhas gerais esperamos continuidade do cenário inflacionário benigno. O IPCA-15 de setembro deve desacelerar de 0,35% para 0,13%, refletindo o barateamento dos alimentos, bem como o menor ritmo de alta dos preços de Energia elétrica devido à troca da bandeira tarifária de vermelha para amarela em setembro. Já no RTI, documento importante para a atualização do cenário do Banco Central para a economia doméstica e avaliação da trajetória da Selic neste final de ciclo de flexibilização monetária, a autoridade monetária deve manter a projeção de inflação observada no último Copom, que estava em 3,3% para 2017 e 4,4% para 2018. Diante disso, ganha importância o acompanhamento das estimativas para o IPCA no 2º semestre de 2019. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 18 a 24 de setembro de 2017

Prévia do PIB vem com contração em maio e reforça caminho de altas e baixas rumo à recuperação econômica

A economia brasileira continua patinando, oscilando entre altas e baixas, conforme mostram os dados de maio do Índice de Atividade Econômica do Banco central (IBC-Br) divulgados hoje. O IBC-Br, criado na tentativa de antecipar o resultado do PIB, teve queda de 0,51% em maio, na comparação com abril (com ajuste sazonal). O consenso de mercado previa crescimento de 0,5% na mediana das projeções. Essa foi a queda mais intensa desde agosto passado, quando o índice recuou 0,7%. O tombo do IBC-Br em maio é o segundo resultado negativo neste ano após março (-0,46%), enquanto houve expansão nos meses de janeiro (+0,51%), fevereiro (+1,35%) e abril (+0,15%). Os resultados corroboram nosso cenário de uma recuperação econômica trôpega, lenta e gradual, com rotineiras oscilações. Dificilmente teremos meses seguidos de crescimento expressivo ainda em 2017. Lembrando que os dados do IBC-Br de maio captam apenas parcialmente os impactos da crise política eclodida após a divulgação do áudio entre o dono da JBS e Michel Temer que levou à denúncia por crime de corrupção contra o presidente. Ou seja, as futuras leituras do IBC-Br deverão vir ainda bastante turbulentas. Continuar lendo Prévia do PIB vem com contração em maio e reforça caminho de altas e baixas rumo à recuperação econômica

Desemprego fica em 13,6% no trimestre encerrado em abril e atinge 14 milhões

O desemprego ficou em 13,6% no trimestre de fevereiro a abril, atingindo 14,2 milhões de pessoas segundo dados divulgados hoje pelo IBGE. Na comparação com o trimestre terminado em março houve ligeira queda de 0,1 ponto percentual, quando a taxa ficou em 13,7%. A taxa apurada no trimestre encerrado em abril é maior 2,4 pontos porcentuais do que a registrada no mesmo período de 2016, quando ficou em 11,2%. Além disso, essa é a maior taxa de desocupação do trimestre terminado em abril desde 2012, quando foi de 7,8%. Para o período, o resultado de abril deve-se basicamente à queda na população ocupada e aumento da população desocupada. Continuar lendo Desemprego fica em 13,6% no trimestre encerrado em abril e atinge 14 milhões

Agenda Econômica Semanal – 29 de maio a 4 de junho de 2017

Mercado doméstico nesta semana estará atento ao resultado do PIB do primeiro trimestre e à decisão do Banco Central sobre a Selic. Para o resultado do PIB do primeiro trimestre (quinta-feira) esperamos crescimento de 1,3% contra igual trimestre do ano anterior e elevação de 0,9% comparativamente ao trimestre anterior. Pelo lado da oferta, apostamos que resultado mais benigno derivam da alta de 12,5% (T/T) para o setor agrícola, impulsionado pela forte safra de milho e soja, e do aumento de 0,5% (T/T) para o setor de serviços (cuja série foi consideravelmente revisada para cima devido à nova metodologia do IBGE, devem ser os vetores do movimento. Pela ótica da demanda, o setor externo deverá ser o destaque positivo. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 29 de maio a 4 de junho de 2017

Agenda Econômica Semanal – 15 a 21 de maio de 2017

Arrecadação federal e índices de inflação são destaques da agenda doméstica desta semana

Após a surpresa positiva do IBC-Br (hoje pela manhã), que registrou queda de 0,44%, inferior à esperada pelo mercado, a agenda doméstica desta semana tem poucos destaques, entre eles a arrecadação federal e indicadores de inflação.

No decorrer da semana, teremos a divulgação da arrecadação federal impostos e contribuições em abril. Estimamos aumento de R$99 bi para R$119 bi, refletindo a elevação sazonal decorrente do recolhimento do imposto de renda. Se confirmado, o crescimento anual na arrecadação será de 3,3%. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 15 a 21 de maio de 2017