Agenda Econômica Semanal – 19 a 25 de março de 2018

Reunião do Copom (quarta-feira) será o principal evento da semana

O Banco Central deve reduzir a Selic para 6,5% na quarta-feira. Na reunião do Copom (quarta-feira), o Banco Central deve promover um novo corte de 0,25% na Selic, levando a taxa básica para patamar que deverá ser mantido até o fim de 2018. Em nossa visão, as surpresas baixistas com a inflação e a retomada moderada da atividade levarão o Banco Central a um novo corte de 25 basis-points (bps) nesta semana. Em seu último comunicado, o Banco Central deixou em aberto a possibilidade de um novo corte de juros no encontro de março. A autoridade monetária sinalizou que caso seu cenário base fosse mantido, o ciclo de corte seria encerrado. Entretanto, desde então, a inflação tem surpreendido positivamente, com a volta da deflação dos alimentos, e o ambiente externo, apesar do aumento da volatilidade, ainda permanece favorável ao crescimento. Com o cenário atual mais favorável do que o esperado, a autoridade monetária deve realizar um novo corte no próximo Copom. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 19 a 25 de março de 2018

Anúncios

Agenda Econômica Semanal – 26 de fevereiro a 4 de março de 2018

Na agenda doméstica, os destaques serão o PIB, indicadores do setor externo, crédito e política fiscal de janeiro

O mercado doméstico estará atento aos dados de arrecadação em uma semana movimentada que tem como destaque a divulgação do PIB de 2017. Nesta segunda-feira, atenção para os dados divulgados há pouco da dívida pública federal[1], investimento estrangeiro direto e conta corrente. Às 14h30, serão divulgados os dados de arrecadação de janeiro, com estimativa de R$ 147,1 bilhões. Às 15h, serão divulgados os dados da balança comercial semanal. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 26 de fevereiro a 4 de março de 2018

Agenda Econômica Semanal – 5 a 11 de fevereiro de 2018

A semana que antecede o carnaval traz uma agenda pujante para os mercados financeiros. A reunião de política monetária do Banco Central, amanhã e quarta-feira, o IPCA de janeiro na quinta-feira e a volta do Congresso Nacional hoje são os destaques locais da semana. Para o Copom, nossa atenção estará no comunicado, que poderá indicar se esse é o fim do ciclo de alívio monetário, uma vez que é praticamente unânime entre os economistas do mercado que o Banco Central optará por um novo corte da Selic de 0,25 ponto na primeira reunião de 2018, que passaria para 6,75%, renovando sua mínima histórica. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 5 a 11 de fevereiro de 2018

Agenda Econômica Semanal – 4 a 10 de dezembro de 2017

Semana terá decisão do Copom, IPCA e produção industrial

Reunião do COPOM, IPCA e produção industrial serão os destaques desta semana. Na quarta-feira, ocorrerá o principal evento da semana, a reunião do Copom. No encontro, o Banco Central deve reduzir a taxa de juro básica da economia de 7,50% para 7,00% e sinalizar que o cenário base da instituição segue inalterado. Avaliamos também que a autoridade monetária deve deixar em aberto a possibilidade de voltar a cortar a taxa básica em seu próximo encontro (fevereiro). Por ora, para a reunião de fevereiro, acreditamos que a instituição deve cortar a Selic em 0,25pp e, com isso, encerrar o ciclo de cortes em 6,75%. A decisão se justifica basicamente pela manutenção do cenário benigno de inflação, com núcleos bem-comportados. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 4 a 10 de dezembro de 2017

Agenda Econômica Semanal – 27 de novembro a 3 de dezembro de 2017

Agenda desta semana traz indicadores de atividade benignos, reforçando o cenário de recuperação lenta e gradual

Os indicadores de atividade deverão continuar reforçando o cenário de recuperação gradual da economia. O PIB do terceiro trimestre (sexta-feira) deverá crescer 0,2%, puxado novamente pela boa dinâmica do consumo das famílias (esperamos alta de quase 1% na margem), amparado pelo ambiente de baixa inflação e melhora no emprego. Do lado da oferta, o destaque deve ser a indústria (+1,0%), em razão das condições mais favoráveis ao investimento devido à queda de juros e ao aumento das encomendas do varejo. O setor de serviços (+0,5%) também deve ajudar, refletindo a melhora gradual do emprego e varejo. Do lado da demanda, o destaque deve ser o Investimento. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 27 de novembro a 3 de dezembro de 2017

Agenda Econômica Semanal – 13 a 19 de novembro de 2017

Apesar do feriado no meio da semana, teremos importantes indicadores de atividade

 A semana da agenda doméstica contará com a divulgação de dados de atividade ainda referentes a setembro. As vendas do comércio varejista e a receita de serviços deverão mostrar continuidade da expansão econômica. As vendas do varejo restrito (terça) de setembro devem crescer 0,6% (MoM). Dá suporte a essa avaliação o comportamento dos indicadores coincidentes, que apontam para um forte desempenho dos Hipermercados (2,0% MoM, Abras | 0,5% MoM, Boa Vista) e para um bom movimento do comércio geral (1,0% MoM, Serasa). No conceito ampliado, que inclui veículos e material para construção, a alta deve ser de 0,9% (MoM), em razão da melhora nas vendas de veículos (6,2% MoM, Anfavea | 5,5% MoM, Fenabrave). Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 13 a 19 de novembro de 2017

Agenda Econômica Semanal – 6 a 12 de novembro de 2017

Destacamos o IPCA e dados de atividade na agenda nacional desta semana

No Brasil, o destaque da semana será a divulgação do IPCA de outubro, na sexta-feira. Esperamos aceleração da variação dos preços, passando de 0,16% de setembro para 0,48% em outubro, devido à adoção da bandeira tarifária vermelha 2 nas contas de luz, à alta dos alimentos (in natura e carnes) e do reajuste de Gás de cozinha e Cigarros, anunciado em setembro. Em 12 meses, o índice deve acelerar de 2,54% para 2,76%. Apesar de a alimentação voltar ao campo positivo, ainda identificamos os núcleos bem-comportados. Já o IGP-DI (quarta-feira), deve permanecer próximo à estabilidade em outubro, com o declínio dos preços industriais no atacado compensando a alta dos preços ao consumidor, o qual deve desacelerar de 0,62% (setembro) para 0,02%. Os vetores do movimento deverão ser a queda do preço do Minério de ferro e o barateamento dos Combustíveis (Gasolina, Álcool e Querosene de aviação). No acumulado em 12 meses, o índice deve intensificar suavemente sua deflação, ao passar de –1,13% para –1,15%. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 6 a 12 de novembro de 2017