Agenda Econômica Semanal – 24 a 30 de setembro de 2018

Destaque para a divulgação da ata do Copom e reunião do FOMC, que deve aumentar a taxa básica de juros nos EUA

Na terça-feira, a ata poderá trazer maior detalhamento em relação às circunstâncias que devem levar à normalização gradual da política monetária. No documento, o Banco Central deve mostrar mais detalhes sobre a uma possível antecipação no processo de normalização da política monetária devido às incertezas eleitorais e à elevação do risco de um cenário adverso. Na quinta, será conhecido o Relatório Trimestral de Inflação do 3T18. Na apresentação, que deve trazer um reforço de comunicação sobre o balanço de riscos visualizado pelo BCB, teremos destaque para a participação do presidente da instituição, Ilan Goldfajn. O foco das atenções acerca do Relatório de Inflação estará nas projeções de inflação, com um cenário híbrido (câmbio estável e alta de juros do Focus) e na revisão da projeção de crescimento deste ano. Também conheceremos os dados fiscais, que deverão mostrar o benefício da arrecadação de royalties de petróleo, e do setor externo, que mostrarão, novamente, contas bem ajustadas. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 24 a 30 de setembro de 2018

Anúncios

Agenda Econômica Semanal – 17 a 23 de setembro de 2018

Na agenda doméstica, destaque para a decisão de política monetária e inflação ao consumidor
Apesar da depreciação cambial observada ao longo das últimas semanas, em grande medida desencadeada pelo cenário internacional mais desafiador, as expectativas de inflação mantiveram-se ancoradas e os dados de atividade seguiram moderados. Dessa forma, esperamos manutenção da Selic em 6,5% na próxima semana. Na quarta, acontecerá a reunião do Copom, o principal evento da semana. Nela, acreditamos que o Banco Central do Brasil deve anunciar a manutenção da taxa básica de juros da economia em 6,5% a.a., se abstendo novamente de sinalizar os próximos passos da política monetária. A instituição deve sustentar sua posição com base nas (i) expectativas inflacionárias, que seguem bem ancoradas, apesar do câmbio mais pressionado, (ii) na recuperação da atividade em ritmo lento, (iii) na permanência da ociosidade em nível bastante elevado, (iv) nas incertezas políticas e (v) nas poucas alterações do cenário externo. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 17 a 23 de setembro de 2018

Agenda Econômica Semanal – 10 a 16 de setembro de 2018

Dados dos setores de comércio e serviços são os destaques desta semana

Na agenda doméstica, destaque para a divulgação dos dados do comércio (quinta-feira) e serviços (sexta-feira) de julho, compatíveis com a atividade moderada no início do terceiro trimestre. O varejo restrito deve crescer 0,3% (MoM) em julho. A suave alta dos indicadores coincidentes, como as consultas ao SCPC (0,2%) e o do movimento do comércio (0,2%, MoM, Serasa), dão suporte à estimativa. No conceito ampliado, que inclui veículos e material para construção, o avanço deve ser de 0,4% (MoM), refletindo o crescimento do comércio de material de construção (2,4%) e de veículos (1,8%). Teremos ainda o impacto da liberação das cotas do PIS/PASEP. Com relação ao volume de serviços, o dado de julho deve recuar de 0,6% (MoM), após avançar 6,6% (M/M) em junho. O resultado deve refletir a queda no fluxo de veículos pesados nas estradas (-6,8%, M/M), após a normalização dos serviços de transportes. Esses dados, somados ao da indústria, apontam para ritmo gradual da economia no início deste trimestre. Ainda teremos a divulgação do IGP-10 de setembro (esperamos alta de 0,85%), que seguirá indicando pressão elevada nos preços no atacado. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 10 a 16 de setembro de 2018

Agenda Econômica Semanal – 3 a 9 de setembro de 2018

Na agenda doméstica, destaque para a divulgação do IPCA de agosto, que deve registrar alta marginal de 0,07%

Após repasse elevado dos preços de alguns produtos mais afetados pela greve dos caminhoneiros em maio, esses efeitos continuam se dissipando. Em relação aos núcleos, continuaremos observando aceleração, mas ainda em patamar bastante abaixo do centro da meta. Também será conhecido o resultado da produção industrial de julho, que deve recuar 2,6% em relação a junho. Na média, do período pós paralisação, esperamos certa queda em relação aos níveis observados até maio, indicando que alguns efeitos não foram totalmente temporários. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 3 a 9 de setembro de 2018