Agenda Econômica Semanal – 14 a 20 de maio de 2018

A agenda doméstica terá como foco principal a decisão do Copom, que deve cortar a taxa Selic de 6,75% para 6,25%, o que levará a Selic ao seu menor patamar histórico. Acreditamos que as condições correntes da atividade e inflação continuam prescrevendo novo corte da taxa básica de juros, ainda que o balanço de riscos para a inflação tenha piorado nas últimas semanas com a desvalorização cambial. Como justificativa, a autoridade monetária deve avaliar que a inflação segue com trajetória benigna e a atividade econômica está com recuperação ainda consistente, apesar dos números mais fracos. Além disso, a fala do presidente do Banco Central, durante o mês de março, considerando que a instituição tem reservas suficientes para suavizar variações bruscas do dólar, amenizou a relevância do tema para decisão de política monetária de maio, abrindo caminho para mais um corte da Selic. Com a decisão, acreditamos que a instituição deve encerrar o ciclo de flexibilização da política monetária e o comunicado deve apresentar esse posicionamento de forma clara. Tal decisão, no entanto, diminui o risco de postergação da convergência da inflação para a meta. De fato, os modelos do Banco Central devem apontar resultados ao redor da meta neste e no próximo ano. Ainda será conhecido o resultado da Pesquisa mensal de serviços de março e o IBC-Br do mês, consolidando os resultados do 1º trimestre, para o qual esperamos ritmo modesto de recuperação. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 14 a 20 de maio de 2018

Anúncios

IPCA de abril vem bem-comportado (+0,22%), mantendo a aposta de que a Selic vai a 6,25% em maio

Não obstante à escalada do dólar e dos preços do petróleo, a Selic deve recuar 0,25 ponto percentual, para 6,25% ao ano, na próxima reunião do Copom, marcada para 15 e 16 de maio. Em declarações recentes, o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, sinalizou que os diretores levam em conta, no regime de metas para a inflação, a variação nos preços, as expectativas do mercado e o nível de atividade. Assim sendo, a perspectiva da REAG se mantém após a divulgação do IPCA de abril que surpreendeu e veio em +0,22%, significativamente abaixo das projeções do mercado (em torno de 0,29%) e pressionada pelo aumento dos preços de produtos farmacêuticos e planos de saúde. Adicionalmente, destacamos que outros componentes do índice seguem com comportamento estável e em nível baixo, o que reforça que a Selic deve ir a 6,25% neste mês e só voltar a subir no segundo semestre de 2019. Continuar lendo IPCA de abril vem bem-comportado (+0,22%), mantendo a aposta de que a Selic vai a 6,25% em maio

Agenda Econômica Semanal – 7 a 13 de maio de 2018

Destacamos a divulgação dos dados de inflação e vendas do comércio varejista na agenda doméstica. Com núcleos ainda bem-comportados, estimamos variação de 0,29% para o IPCA de abril, levando o acumulado de 12 meses para 2,84%. Serão conhecidos também os dados de inflação no atacado: o IGP-DI de abril deverá mostrar variação de 0,57%. Com este resultado, o Copom ainda terá tranquilidade para realizar mais um corte de juros em sua próxima reunião, que ocorre nos dias 15 e 16 de maio. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 7 a 13 de maio de 2018