Agenda Econômica Semanal – 20 a 26 de novembro de 2017

Semana terá o IPCA-15 de novembro e as atas do Fed e BCE

Esperamos aceleração do IPCA-15 de novembro (quinta) que deve passar de 0,34% (em outubro) para 0,38%, em razão do encarecimento das contas de luz provocado pela adoção da bandeira tarifária vermelha nível 2 e pela sobretaxa, que entrou em vigor em 1º de novembro. Além disso, a alta no preço do gás de botijão e a intensificação do ritmo de alta da gasolina também devem contribuir para o avanço do índice. Se confirmado, em 12 meses, o IPCA-15 registrará aceleração de 2,56% para 2,71%, o que representará a 1ª aceleração anual desde setembro do ano passado. Na sexta, o INCC-M deve acelerar de 0,20% para 0,38% em novembro devido aos maiores custos com a mão de obra da construção civil. Apesar disso, o núcleo da inflação deve continuar bem-comportado em novembro, uma vez que o ritmo de crescimento da economia continua abaixo do potencial. Assim, com núcleos dos índices de inflação deverão oscilar ao redor de 3,5% em 6 meses, cuja principal leitura continua sendo de inflação benigna e com espaço para continuidade do ciclo de redução de juros. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 20 a 26 de novembro de 2017

Anúncios

Agenda Econômica Semanal – 13 a 19 de novembro de 2017

Apesar do feriado no meio da semana, teremos importantes indicadores de atividade

 A semana da agenda doméstica contará com a divulgação de dados de atividade ainda referentes a setembro. As vendas do comércio varejista e a receita de serviços deverão mostrar continuidade da expansão econômica. As vendas do varejo restrito (terça) de setembro devem crescer 0,6% (MoM). Dá suporte a essa avaliação o comportamento dos indicadores coincidentes, que apontam para um forte desempenho dos Hipermercados (2,0% MoM, Abras | 0,5% MoM, Boa Vista) e para um bom movimento do comércio geral (1,0% MoM, Serasa). No conceito ampliado, que inclui veículos e material para construção, a alta deve ser de 0,9% (MoM), em razão da melhora nas vendas de veículos (6,2% MoM, Anfavea | 5,5% MoM, Fenabrave). Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 13 a 19 de novembro de 2017

Cenário Macroeconômico outubro/ novembro 2017: paralisia do ajuste fiscal ainda se contrapõe à reversão cíclica da economia

A economia brasileira se recupera da maior recessão de sua história contrapondo um cenário de inflação baixa, juros em queda e contas externas benignas a resultados fiscais ainda temerosos, na ausência de reformas. No front otimista, temos os indicadores de atividade reiterando um ambiente de reversão cíclica no curto prazo, com o crescimento se solidificando e contaminando mais setores. Já do front pessimista vemos as contas do governo ainda alimentando as desconfianças da solidez da retomada econômica em meio ao caos da crise política.

Os resultados recentes para a produção industrial, varejo e serviços reforçam as projeções de crescimento para o PIB no último trimestre do ano, com o consumo das famílias liderando a retomada econômica. Isso decorre da redução do nível de desemprego, concomitantemente ao alívio no nível de endividamento e aumento do poder de compra em decorrência da deflação de itens ligados à alimentação domiciliar. A melhora no balanço das famílias deve ser intensificada pela redução do custo do crédito às pessoas físicas, em função da queda da taxa básica de juros. Continuar lendo Cenário Macroeconômico outubro/ novembro 2017: paralisia do ajuste fiscal ainda se contrapõe à reversão cíclica da economia

Agenda Econômica Semanal – 6 a 12 de novembro de 2017

Destacamos o IPCA e dados de atividade na agenda nacional desta semana

No Brasil, o destaque da semana será a divulgação do IPCA de outubro, na sexta-feira. Esperamos aceleração da variação dos preços, passando de 0,16% de setembro para 0,48% em outubro, devido à adoção da bandeira tarifária vermelha 2 nas contas de luz, à alta dos alimentos (in natura e carnes) e do reajuste de Gás de cozinha e Cigarros, anunciado em setembro. Em 12 meses, o índice deve acelerar de 2,54% para 2,76%. Apesar de a alimentação voltar ao campo positivo, ainda identificamos os núcleos bem-comportados. Já o IGP-DI (quarta-feira), deve permanecer próximo à estabilidade em outubro, com o declínio dos preços industriais no atacado compensando a alta dos preços ao consumidor, o qual deve desacelerar de 0,62% (setembro) para 0,02%. Os vetores do movimento deverão ser a queda do preço do Minério de ferro e o barateamento dos Combustíveis (Gasolina, Álcool e Querosene de aviação). No acumulado em 12 meses, o índice deve intensificar suavemente sua deflação, ao passar de –1,13% para –1,15%. Continuar lendo Agenda Econômica Semanal – 6 a 12 de novembro de 2017