Agenda Econômica Semanal – 3 a 9 de julho de 2017

Primeiros indicadores de atividade de junho, que conheceremos nesta semana, devem apontar para arrefecimento da economia no fechamento do segundo trimestre

Nosso cenário de continuidade de desinflação e moderação da atividade econômica no final do trimestre passado deverá ser confirmado com os indicadores que conheceremos nesta semana. Destacamos o resultado da indústria de maio, os primeiros indicadores de junho e o IPCA fechado de junho. Na terça-feira, a Pesquisa Mensal da Indústria deve mostrar que a produção industrial deve crescer 0,6% em maio. Os dados positivos dos indicadores coincidentes como o da produção de veículos (13,3%, Anfavea), do fluxo de veículos pesados nas estradas (2,7%, ABCR) e da expedição de papel ondulado (2,1%, ABPO) dão suporte à nossa projeção. Outro ponto positivo, é a perspectiva favorável para a demanda, em razão da liberação das contas inativas do FGTS estimulando o consumo interno e o avanço das exportações.  Além disso, conheceremos os dados da indústria automobilística referentes a junho: (i) emplacamentos, hoje, divulgados pela Fenabrave e (ii) produção, na quinta-feira, pela Anfavea.

Os dados de inflação, por sua vez, devem confirmar a tendência desinflacionária. Na sexta-feira, teremos o resultado do IPCA, o qual deve mostrar deflação, ao passar de 0,31% para –0,15%. O acionamento da bandeira verde a partir de 1/6, a redução no preço dos Combustíveis e a intensificação da deflação dos in natura devem ser os vetores. Com isso, a variação da inflação em doze meses passará de 3,60% em maio para 3,00% em junho. Já o IGP-M, que será conhecido no mesmo dia, deve mostrar deflação mais intensa, de 0,85%, puxada pela retração dos preços dos produtos agropecuários no atacado. Por fim, conheceremos hoje os dados da balança comercial de junho, para os quais projetamos superávit de US$ 7,1 bilhões. Na sexta, também sairá o IGP-DI de junho. O índice deve intensificar seu ritmo de queda, ao passar de –0,51% para –0,78%. A variação deve ser explicada (i) pela maior deflação dos produtos agropecuários, puxado pelos in natura, e (ii) os patamares deprimidos dos preços dos produtos industriais, refletindo o nível baixo do preço do Minério de ferro e o barateamento da Gasolina.

Na agenda externa, o destaque desta semana será a divulgação dos dados do mercado de trabalho dos Estados Unidos referentes a junho, na sexta-feira. Na quarta-feira, será divulgada a ata da última reunião do comitê de política monetária do Fed, que decidiu elevar a taxa de juros em 0,25 p.p. Na Área do Euro, destacamos os resultados das vendas do varejo do bloco em maio e da produção industrial da Alemanha relativa ao mesmo período. Ao longo da semana, ainda, teremos a divulgação dos índices PMI de junho das principais economias, que devem apontar para leve desaceleração da economia mundial no fechamento do segundo trimestre.

tabela

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s